FECOMERCIO-PI APONTA 8 RAZÕES PARA UM BOM NATAL 2017 Featured

18 Dezembro 2017 Written by 
Published in Fecomercio

Resultado de imagem para recupera do emprego

 

 

*Por Nonato Paz

Os indicadores do IBGE como Índice de Inflação e Pesquisa Mensal do Comércio ; dados do Ministério do Trabalho e Emprego sobre a retomada do Emprego; estabilidade do real com relação ao dólar; baixa nas taxas de juros, bem como as Pesquisas de Endividamento ( PEIC ), Intenção de Compras das Famílias de Teresina ( ICF )e Índice de Confiança do Empresário do Comércio (ICEC ) realizadas pela FECOMERCIO em parceria com a CNC são variáveis que indicam  bons resultados da Economia piauiense para o final do ano de 2017.  

O IPCA ( Índice Oficial de Inflação do Brasil ) medido pelo IBGE atingiu 2,21% no acumulado no ano e 2,70%  nos últimos 12 meses. Quando a inflação é baixa o poder aquisitivo do consumidor fica mais elevado e as famílias levam mais mercadorias para casa.

Na semana passada  o IBGE divulgou  a Pesquisa Mensal do Comercio (PMC ) referente a outubro  de 2017 que mostra um crescimento de 2,4% sobre o Índice do Volume de Vendas do Comércio Varejista do Piauí na comparação com o mesmo mês do ano anterior. Esse é o 6º mês seguido de resultados positivos no varejo do Piauí.  O varejo Ampliado que é a soma do varejo com as vendas de automóveis e material de construção também obteve elevação de 4,1% na mesma base de comparação.

. Mercado de Trabalho aquecido. Levantamento do Ministério do Trabalho e Emprego através do CAGED ( Cadastro Geral de Empregados e Desempregados )  mostra boa recuperação de Empregos formais do Comércio do Piauí. Em outubro deste ano o setor Comércio obteve um saldo positivo de 648 vagas, resultado da diferença entre 2.295 contratações e 1.647 demissões. Este foi o 5º mês consecutivo de saldos positivos de empregos no Piauí.

Câmbio favorável ao Brasil. A valor de um dólar continua sendo um pouco maior de R$ 3,00 reais que vem facilitando as compras de produtos para o Natal como vinhos, brinquedos eletrônicos, artigos de ornamentação e outros.

Acesso ao Crédito. Com a inflação baixa fica mais fácil para o governo  interferir positivamente na economia, basta  o BC baixar a taxa Selic porque ela é uma função direta da inflação.  Hoje esta taxa é de 7%  com a inflação de 2,70%, porém, no ano passado a taxa Selic chegou a 14,25% com a inflação de 6,29%. Se o Consumidor souber pechinchar  encontrará taxas de juros de até 1,2% ao mês.  Com o barateamento do Crédito, melhoram-se as vendas.

A Pesquisa de Intenção de Consumo  das Famílias (ICF ) realizada pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do Piauí – FECOMERCIO-PI em parceria com a CNC ,mês de dezembro de 2017, revela que 30,9% das famílias de Teresina declararam que estão mais seguros nos seus empregos. Neste contexto, quando os dados referem-se  as famílias que ganham mais de 10 salários mínimos a cifra passa para 48,5%. Numa escala que vai de zero a 200 pontos a situação Atual de Emprego atingiu o patamar de 121,9 pontos. Na mesma Pesquisa, 34,1%  dos consumidores disseram estar comprando mais do que o ano passado.

Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor  de Teresina (PEIC )  da FECOMERCIO /CNC  mostra que 47,7% dos Consumidores de Teresina pretendem comprar a vista, neste mês de dezembro, em virtude, principalmente, do dinheiro do 13º salário. Entretanto, 52,3% encontram-se em débitos com cartão de crédito, carnê de lojas, crédito consignado, financiamento de casa e carro, cheques pré-datados e outros. Dentre os endividados, 14,2% estão com contas em atraso e dentre as famílias com contas em atraso, 5,6% disseram que não têm condições de honrar esses compromissos, são os inadimplentes. Dos tipos de débitos, 86,5% optaram por  cartão de crédito.

Índice de Confiança do Empresário do Comércio(ICEC )/ realizada pela FECOMERCIO com a CNC. A Pesquisa  do mês de Dezembro/2017 que mede o grau de Confiança do Empresário do Comércio (ICEC ) de Teresina foi de 120,6 pontos,  apresentando  um aumento de 6,44%  sobre o levantamento realizado  no mesmo  mês do ano passado quando aquele atingiu 113,3 pontos.

Neste contexto, os empresários que  empregam mais de 50 pessoas, os representantes das maiores empresas, a Confiança foi  de 145,6 pontos,  apresentando um crescimento de 15,28% na comparação com a pesquisa do mesmo mês do ano anterior. Os Empresários do ramo de duráveis avaliaram o setor em 121,0 pontos , enquanto os que labutam no segmento de vestuário e calçados alcançaram o otimismo de 1126,8 pontos.

 A sondagem revelou ainda que 14,5% dos Empresários teresinenses tem intenção de aumentar muito o número de Empregados, neste mês, porém, 55,9% desejam aumentar, mas em pouca quantidade.

Segundo o resultado da Pesquisa, as Empresas do Comércio de Teresina  que  apresentaram maior quociente de vendas foram as que empregam mais de 50 pessoas, uma vez que praticamente zeraram os seus estoques . Por outro lado, os Empresários  menores, os  que empregam até 50 funcionários, 69,7% deles disseram  que os  estoques de mercadorias de suas Empresas estão adequados e 16,2% acima do adequado.  Esse indicador mostra que as vendas das Empresas do Setor Comércio estão sendo efetivadas.

  *Nonato Paz é assessor econômico da FECOMERCIO-PI  e do Instituto Fecomercio de Pesquisa e Desenvolvimento - IFPD

Read 41258 times Last modified on Segunda, 18 Dezembro 2017 10:53
Rate this item
(0 votes)

Endereço

Endereço:
Av. Campos Sales, 1111, Centro/Norte, Teresina, PI  
Tel:
(086) 3222-5634
Website:
www.fecomercio-pi.org.br
Email:
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

Quem Somos

O Sistema Fecomercio do Estado do Piauí é a força do Comercio de Bens, dos Serviços e do Turismo nas lutas pelo desenvolvimento do setor terciário e, conseqüentemente, do Estado.

JoomShaper